15 de maio de 2017

Meu colete salva-vidas..

Eu me agarro desesperadamente a você como se fosses o último colete salva-vidas. Estou afundando, me afogando em solidão. Estou cansada de nadar e você é a minha salvação. Enquanto eu me debato e evito as ondas, você parece me acalmar e me fazer boiar. Eu quase nem percebo o pequeno furo no lado esquerdo do colete. Finjo que não vejo que é perigoso estar com você e que uma hora você vai me abandonar. Eu estou em alto-mar e há tão pouco ar dentro de você que eu já sinto meu pescoço submerso, ainda assim, te mantenho junto ao corpo para afastar o frio. É tão frio sem você. Eu ainda me agarro aos fios que te prendem a mim, uma tentativa desesperada de permanecer viva. E enquanto eu afundo, te levo comigo. Vazio, incapaz de me ajudar, danificado e tão desesperado quanto eu. Não foi o colete que me matou, foi a água. E eu pulei mesmo sem saber nadar.

Mariana Siqueira